Mercado

Indústria petroquímica segue com dificuldade para retomar a produção nos EUA

As operações nas instalações petroquímicas da Costa do Golfo dos Estados Unidos ainda não se recuperaram totalmente um mês depois que as nevascas provocaram grandes cortes de energia e paralisações de plantas.

Mais de 80% da capacidade de olefinas dos EUA ficou imediatamente offline após o pico das condições climáticas extremas em meados de fevereiro. Durante esse tempo, foi observado que a recuperação poderia levar semanas, uma vez que as interrupções na cadeia de valor levariam a um reinício escalonado e complexo, preparando o terreno para a volatilidade da oferta e dos preços em meio a uma demanda mais forte.

Em meados de março, a indústria de olefinas dos Estados Unidos ainda não havia recuperado seu equilíbrio, com apenas 60% da capacidade em operação. Várias instalações nas áreas metropolitanas de Houston e Corpus Christi permanecem fechadas. Aqueles mais a oeste parecem estar passando por interrupções mais longas, provavelmente devido a temperaturas relativamente mais frias durante a tempestade de inverno.

Embora o fornecimento desses importantes químicos tenha diminuído durante as interrupções, a demanda por seus produtos de uso final não diminuiu. Os preços do eteno responderam a esse desequilíbrio atingindo máximos de quase sete anos. Espera-se que os altos preços das olefinas continuem após o processo de reinicialização estar totalmente concluído, à medida que as unidades trabalham com um acúmulo de demanda reprimida de derivados.

Fonte
MRC Plast
Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar