Mercado

Osvane Lazarone, gerente comercial da Usiquímica, fala sobre os desafios da indústria química durante a pandemia

Em entrevista exclusiva ao Globalkem, o gerente comercial da Usiquímica, Osvane Lazarone, trouxe informações sobre a situação do mercado químico atual e sobre o posicionamento da Usiquímica para superar um momento crítico na economia nacional.

A Usiquímica é uma fornecedora fundamental do setor químico brasileiro. Há quanto tempo a empresa é atuante no país e quais seus principais mercados? 

A empresa atua no Brasil há mais de 77 anos. Ela foi inaugurada em 1943 na cidade de São Paulo e em 2003 transferiu a sua planta para Guarulhos. A empresa atua em diversos mercados, porém os que mais se destacam são: Indústria Química, Tinta e Vernizes, Saneantes, Cosméticos e Alimentos.

Como distribuidora de muitos produtos químicos como ácido clorídrico, ácido fluorídrico, soda cáustica, entre outros, a Usiquímica necessita de uma grande infraestrutura para garantir o escoamento de seus produtos. A logística e distribuição desses produtos sofreu algum impacto ou alteração durante a pandemia?

Como possuímos uma estrutura fabril e logística bastante sólida, conseguimos passar pela pandemia com um bom nível de serviço junto aos nossos clientes. É claro que tivemos algum impacto em termos de volume de venda em alguns meses do ano, em particular no mês de abril. Porém, como a empresa tem uma excelente robustez financeira, não precisamos demitir nenhum funcionário, por conta da pandemia, ou mesmo rescindir contratos com nossos fornecedores. Isso foi fundamental, pois conseguimos manter o nosso atendimento junto aos clientes com a forte retomada dos negócios que aconteceu a partir do 3º trimestre.

Especializada na produção de Arla 32, a Usiquímica fornece um reagente utilizado para diminuição de gases tóxicos na combustão dos motores de caminhões e ônibus à diesel. Durante a aplicação das medidas de isolamento social, a movimentação por transporte rodoviário sofreu diminuição. Como isso afetou a produção de Arla 32? A empresa teve quais estratégias para enfrentar este momento?

A diminuição do movimento rodoviário levou a uma redução na demanda pelo Arla. Porém, fizemos um trabalho comercial mais agressivo para ampliar ainda mais a nossa carteira de clientes e investimos no desenvolvimento de toda a cadeia logística de produtos acabados e de matérias-primas.

Desde 2017, a Usiquímica desenvolveu uma sólida parceria com a Valvoline. Como essa parceria agrega na qualidade dos lubrificantes disponíveis no mercado nacional?

A parceria com a Valvoline possibilitou um salto relevante no aspecto de qualidade e atendimento do mercado brasileiro. Isso porque a parceria gerou uma combinação de maior proximidade com o mercado, tendo em vista toda a expertise da Usiquímica, aliada ao enorme conhecimento tecnológico e capacidade de desenvolvimento de produtos da Valvoline.

A Usiquímica tem na sua disponibilidade o centro de pesquisas e desenvolvimento da Valvoline localizado em Lexington, EUA. Lá, a empresa conta com vários Phd’s especializados em lubrificantes e coolants e diversos laboratório de desenvolvimento e teste. Isso faz com que possamos desenvolver produtos taylor made para o mercado brasileiro. Para se ter uma ideia, em 2021 lançaremos vários novos produtos para atender as demandas do mercado brasileiro. Esses novos produtos agregarão uma enorme carga de tecnologia e inovações para o Brasil.

As preocupações com uma segunda onda de infecções por coronavírus vem trazendo muita incerteza para o mercado de químicos. Com a experiência adquirida ao longo da pandemia, qual será a estratégia da Usiquímica para se manter competitiva em um momento tão instável?

Definitivamente, isso gera uma preocupação para toda a sociedade. Mas, não temos dúvidas de que vamos mais uma vez superar os obstáculos e desafios.

Em primeiríssimo lugar, a Usiquímica seguirá mantendo uma postura de garantia de segurança para os seus funcionários. Isso é um ponto fundamental e essencial para o nosso negócio.

Além disso, vamos continuar acompanhando de perto o comportamento do mercado referente às mudanças na demanda ocasionadas por paralisações de operações dos nossos parceiros e clientes. Este acompanhamento é fundamental para garantir a melhor performance possível nos negócios. Isto proporcionará uma eficiência comercial e financeira de forma a garantir a sustentabilidade do negócio.

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar